Return to previous page

Após o preparo e limpeza da superfície, deve-se proceder caso necessário, a regularização da mesma.

1°) Aplicar uma demão de imprimação de primer, conforme NBR 9686, de forma que haja uma boa penetração nos poros do substrato. Casos especiais como impermeabilização em ambientes confinados, onde o contato com solventes ofereça um real risco operacional, pode-se utilizar primer à base água.
2°) Esperar a secagem da imprimação que é variável, dependendo das condições climáticas.
3°) Desenrolar toda a bobina, fazendo o alinhamento da manta. Rebobiná-la novamente para iniciar o processo de colagem da mesma.
Ao desenrolar a manta, colocar asfalto oxidado/elastomérico quente, numa temperatura a 220ºC sob esta de forma a se ter uma “onda”, que com o desenrolar da manta vai sendo espalhada por toda a superfície, fazendo com que a manta fique aderida à mesma.
Esta onda de asfalto deve estar sempre perto do rolo da manta (no máximo 50 cm) para evitar seu prematuro esfriamento.
Após a colocação da primeira manta, as demais deverão ser sobrepostas em 10 cm, fazendo com que o asfalto oxidado/elastomérico quente esteja em contato com as duas mantas procedendo o biselamento para que haja uma perfeita fusão entre elas.
A colagem da manta devera ser feita da forma mais continua possível e quando necessário, sobrepassar vigas invertidas, muretas, etc…
De uma forma geral, a manta deverá subir a uma altura de 30 cm do piso acabado nos rodapés de paredes ou qualquer outra superfície vertical existente na área a ser impermeabilizada e sua colagem deverá ser de baixo para cima.
Nos ralos e emergentes deverá ser feito um arremate com dupla manta em recorte estrela. Nas emendas das mantas deverá haver sobreposição de 10 cm, que receberão biselamento para proporcionar perfeita vedação.
Após o teste, se não for detectado nenhum ponto de vazamento, proceder com a execução da proteção mecânica apropriada.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Manta asfáltica poliéster aluminizada”